Pular o café da manhã deixa um vácuo de nutrientes fundamentais ao corpo?

Quem pula o café da manhã deixa de ingerir nutrientes essenciais, desses que podem reduzir o risco de doenças crônicas, segundo estudo realizado na Escola de Medicina da Universidade de Ohio, nos Estados Unidos.

Para a análise, foram analisadas informações dietéticas de 30 889 adultos maiores de 19 anos que participaram de um levantamento entre 2005 e 2016. Os experts compararam estimativas do que esse pessoal consumia com a ingestão recomendada de cada nutriente de acordo com instituições americanas. Vale dizer que 15,2% dos participantes relataram não fazer o desjejum.

Foi aí que os cientistas notaram que quem pula o café da manhã ingere uma quantidade menor de vitaminas e minerais. Substâncias como ácido fólico, cálcio, ferro, fósforo, além das vitaminas A, B1, B2, B3, C e D foram as que ficaram mais em falta entre quem acorda e vai direto para o almoço.

A ausência desses nutrientes se manteve mesmo ao observar a alimentação no resto do dia. Ou seja, esses indivíduos não conseguiam alcançar uma reposição mais tarde.

Para completar, segundo a publicação, a turma que não é fã de café da manhã tem a tendência de comer mais carboidratos, açúcares e gorduras ao longo do dia, sobretudo porque o hábito de petiscar se torna mais presente. Com isso, acabam ingerindo também um número maior de calorias diárias.

“Observamos que a pessoa que não come os alimentos típicos do café da manhã tende a não os incluir na dieta depois e, por isso, ocorre essa lacuna de nutrientes”, explicou o autor do estudo Christopher Taylor, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Ohio, em comunicado oficial da instituição.

Como exemplos, os estudiosos citam o cálcio de leite e derivados, a vitamina C das frutas e a combinação de fibras, minerais e vitaminas dos cereais fortificados.

Muitos estudos já avaliaram o impacto da falta do café da manhã entre crianças, indicando, por exemplo, uma maior probabilidade de problemas de concentração na escola. E, embora os adultos sempre escutem sobre a relevância dessa refeição, Taylor diz que agora começamos a ver as reais implicações desse hábito para eles também.

FONTE

Compartilhar:

0 Comments

Get In Touch

Contact form submitted!
We will be in touch soon.

Sobre a Intolerância Alimentar

Disponibilizamos o acesso a informações que poderão auxiliá-lo no entendimento sobre reações adversas a alimentos, como hipersensibilidade ou intolerância alimentar imunomediada.
Atualmente cerca de 45% da população sofre com sintomas relacionados à intolerância alimentar e tal assunto é pouco discutido. Quando identificada ( a intolerância alimentar), o tratamento pode melhorar a qualidade de vida e bem estar do ser humano consideravelmente.

Error: Access Token is not valid or has expired. Feed will not update.
This error message is only visible to WordPress admins

There's an issue with the Instagram Access Token that you are using. Please obtain a new Access Token on the plugin's Settings page.
If you continue to have an issue with your Access Token then please see this FAQ for more information.

Encontre-nos no Facebook

BY ASTERISCO - Todos os direitos reservados

Fale Conosco pela Cris
Fale Conosco pelo WhatsApp