Mitos e Verdades sobre o chá de boldo

Os chás, além de serem deliciosos e proporcionarem momentos de satisfação, podem trazer inúmeros benefícios à saúde. Confira abaixo alguns mitos e verdades sobre o chá de boldo!

Já diziam as avós: “Para males do fígado e do estômago, chá de boldo é tiro e queda”! De fato, essa planta medicinal tem seus benefícios comprovados pela ciência. Graças às suas substâncias químicas, ao ser ingerida, ela aumenta a produção de urina ao mesmo tempo em que combate o crescimento bacteriano nesse meio e estimula a produção de suco gástrico no estômago.

Mas, apesar de ser servido há décadas, nem todo mundo conhece assim tão de perto a potente ação do chá de boldo e o que ele, de fato, é capaz de proporcionar para o nosso bem-estar.

5 mitos e verdades sobre o boldo

  1. É aliado do fígado e da digestão

VERDADE. E isso acontece porque o boldo possui algumas indicações de nome complicado, mas que são bastante conhecidas por nós. É o caso do efeito colagogo e colerético, em que a planta atua aumentando a secreção de bile na vesícula e no fígado, respectivamente. O boldo também tem efeito benéfico contra as chamadas dispepsias funcionais, quando há um desconforto abdominal constante, e tem atividade antimicrobiana, hepática e digestiva. A planta ainda produz uma ação anti-inflamatória importante, relacionada à boldina e por inibição da síntese da prostaglandina, por isso pode ser usado contra cólicas gastrointestinais leves.

  1. Por ser uma planta, não faz mal à saúde

MITO. O boldo pode danificar o fígado se o consumo for exagerado. Ele ainda é contraindicado para grávidas, lactentes, crianças menores de 6 anos, pacientes com doença no fígado (hepáticas) e distúrbios nos rins. Quem faz uso regular de medicamentos que retardam a coagulação sanguínea, como aspirina® e anticoagulantes, também não deve beber o chá.

  1. Todo boldo é fitoterápico

MITO. É importante compreender que existem várias espécies diferentes de boldo. A mais popular é chamada boldo do Chile. Mas tem também o boldo nacional, o boldo da terra ou o boldo de jardim, com galhos longos e folhas grandes e aveludadas, que também oferecem benefícios. Em contrapartida, há casos em que essas espécies podem ser prejudiciais à saúde. Especialmente quando o consumo é exagerado ou quando ocorre interação com outros remédios que a pessoa esteja usando. O boldo da terra, por exemplo, consumido em doses elevadas pode levar à irritação da mucosa gástrica e intensificar os efeitos de medicamentos ansiolíticos e hipnóticos. Já o falso boldo, que dá em moita e tem cheiro forte e folhas miúdas e carnudas, não deve ser ingerido.

  1. É aliado contra a ressaca

VERDADE. Se a festa do final de semana sobrecarregou o fígado, no dia seguinte prefira uma alimentação leve, com bastante líquido e no máximo duas xícaras de chá de boldo. A planta estimula o funcionamento do fígado eliminando o álcool e o mal-estar.

  1. Tem receita certa para o chá de boldo

VERDADE. Para aproveitar os benefícios do boldo na digestão, as folhas devem ser limpas, socadas/batidas no copo ou pilão com água e deve-se beber na mesma hora. A Anvisa orienta derramar 150 ml de água fervendo em 1 colher (chá) de folhas de boldo e abafar a bebida por cinco a 10 minutos. A receita caseira deve ser consumida só para alívio de sintomas leves e o tratamento não pode ultrapassar quatro semanas.

Todos os chás contêm polifenóis, que trazem inúmeros benefícios: melhoram os níveis de concentração e energia, previnem e tratam a aterosclerose, previnem o diabetes, diminuem o risco de doenças cardiovasculares. Além disso, inibem o desenvolvimento de células cancerígenas, impedem o fornecimento de sangue ao tumor e incentivam a autodestruição das próprias células cancerígenas. “Os chás também contribuem para a diminuição dos níveis do ‘colesterol mau’ (LDL – lipoproteína de baixa densidade), pois melhoram o metabolismo lipídico e têm um efeito antibacteriano significativo, purificando o organismo, eliminando toxinas e combatendo a retenção de líquidos.

De maneira geral, todos os chás, se consumidos além da quantidade recomendada, podem provocar desconforto estomacal, náuseas e alterações intestinais, como diarreia e aumento de flatulência. Alguns tipos podem provocar reação adversa caso a pessoa tenha alergia a algum composto ou ainda provocar interação medicamentosa, por isso, se estiver utilizando de algum medicamento, é necessário consultar um médico para ter certeza de que não haverá riscos à saúde.

FONTE

Compartilhar:

0 Comments

Get In Touch

Contact form submitted!
We will be in touch soon.

Sobre a Intolerância Alimentar

Disponibilizamos o acesso a informações que poderão auxiliá-lo no entendimento sobre reações adversas a alimentos, como hipersensibilidade ou intolerância alimentar imunomediada.
Atualmente cerca de 45% da população sofre com sintomas relacionados à intolerância alimentar e tal assunto é pouco discutido. Quando identificada ( a intolerância alimentar), o tratamento pode melhorar a qualidade de vida e bem estar do ser humano consideravelmente.

Error: Access Token is not valid or has expired. Feed will not update.
This error message is only visible to WordPress admins

There's an issue with the Instagram Access Token that you are using. Please obtain a new Access Token on the plugin's Settings page.
If you continue to have an issue with your Access Token then please see this FAQ for more information.

Encontre-nos no Facebook

BY ASTERISCO - Todos os direitos reservados

Fale Conosco pela Cris
Fale Conosco pelo WhatsApp