Vitaminas na Pandemia

Nunca se falou tanto na importância de manter a imunidade afiada como agora. E é por isso que a turma das vitaminas anda com a popularidade na lua. Com mais gente priorizando alimentos saudáveis e comprando suplementos, fica a pergunta: qual é a relação das substâncias com as nossas defesas, especialmente diante da Covid-19? 


Confira um perfil de cada uma e entenda qual a relação com o sistema imunológico e o coronavírus.

Vitamina C

O que ela faz?

A nutricionista Sandra Chemin, do Centro Universitário São Camilo, na capital paulista, conta que o nutriente ajuda a formar colágeno. Daí o sucesso na dermatologia. A vitamina C ainda é antioxidante e resguarda nossas células em geral. A médica Ana Maria Caetano Faria, professora de imunologia da Universidade Federal de Minas Gerais, destaca a atuação no sistema imune, já que a substância auxilia, por exemplo, na multiplicação das unidades que produzem anticorpos e no recrutamento de outras células de defesa para as áreas atacadas por infecções. 


Tem relação com a Covid-19?

Segundo Sandra, uma pesquisa já sinalizou que o consumo de vitamina C durante o tratamento poderia diminuir a mortalidade pela doença. Mas o dado requer confirmação e não há provas de que ela previne a invasão do coronavírus. 


Como obter no dia-a-dia?
É fácil atingir a meta. Frutas cítricas (laranja, limão e afins) são cheias de vitamina C, além de caju, mamão, salsa, couve e repolho. Em geral, não há necessidade do aporte extra via cápsulas. 


Vitamina D

O que ela faz?

No organismo, ela se comporta como hormônio. Segundo Ana, a substância mantém a absorção de cálcio e fósforo no intestino, fortificando ossos, dentes e músculos.
Também garante o funcionamento dos pulmões, do coração e (olha ele aí!) do sistema imune. Há indícios de que a vitamina D tem capacidade de reduzir o dano pulmonar numa infecção respiratória.

Tem relação com a Covid-19?

“A deficiência pode ser um fator adicional e contribuir, assim, para o agravamento do quadro”, aponta Ana. Mas a médica ressalta que ainda não há nenhum vínculo entre a vitamina D e a prevenção da doença em si.


Como obter no dia a dia? 

Ela está em peixes gordurosos, como salmão, sardinha e atum, além de gema de ovo, cogumelos, queijos e leite fortificado. Mas a principal forma de acesso é o sol. Exponha diariamente pernas ou tronco  de cinco a 15 minutos, entre 10 e 15 horas (sem protetor). A suplementação serve para casos de deficiência comprovada. “Do contrário, pode trazer riscos à saúde”, diz Ana. 


Vitamina A

O que ela faz?

Sua função mais famosa é proteger os olhos. Mas ela vai além. A nutricionista Cibele Furlan, professora da Universidade São Francisco, em Campinas (SP), lembra que a substância atua na formação do feto e é crucial para combater a anemia na infância. Além disso, garante a capacidade de os pulmões expulsarem partículas como as de poluentes e cigarro. Na falta de vitamina A, há maior propensão a infecções e lesões pré-cancerosas ali.


Tem relação com a Covid-19? 

Embora participe do funcionamento do sistema imunológico, não há evidências de que a vitamina A previna ou combata o Sars-CoV-2. “Na verdade, não há como aumentar a imunidade, mas sim mantê-la em equilíbrio”, ressalta Cibele. Isso vale para todos os nutrientes.

Como obter no dia a dia? 

Invista em leite, ovos, fígado e vegetais — sobretudo nos de cor vermelha ou alaranjada, como cenoura, abóbora, buriti, mamão e acerola. Couve e salsa também são fontes. A dieta variada dá conta do recado. Cápsulas exigem orientação, pois podem subir o risco de câncer em fumantes. 


Vitamina K

O que ela faz?

Trabalha em prol da coagulação sanguínea. De acordo com a nutricionista Silvia Maria Custódio das Dores, professora da Universidade Federal Fluminense, ela também é capaz de inibir processos que culminam em placas de gordura e enrijecimento nas artérias. “Outra ação, uma das mais relevantes, é na manutenção da saúde óssea”, completa.  Ela descreve mais possíveis benefícios: suprimir inflamações, preservar a cognição e afastar o câncer.


Tem relação com a Covid-19? 

Por enquanto, não, ao contrário do que já saiu na internet. “As pesquisas que associam a vitamina K à Covid-19 são embrionárias”, informa a professora.

Como obter no dia a dia? 

As grandes fontes são vegetais de folhas verdes: couve, espinafre e rúcula etc. Carne, leite, ovos, óleos como os de soja e canola, abacate e morango também ofertam. “É fácil atingir as recomendações diárias”, afirma Silvia. Só pessoas que tomam alguns tipos de anticoagulante devem ajustar a ingestão com o médico para não ter problemas. 

Vitamina E

O que ela faz?

Pra começo de conversa, impede a oxidação e a degradação de gorduras.  

“Por isso é amplamente usada na indústria de alimentos, especificamente em azeites, óleos e outros itens gordurosos”, relata Cibele. Ela acrescenta que estudos trazem evidências de um impacto positivo na imunidade, resultando em maior resistência a infecções. “Mas a magnitude do efeito é bem pequena”, pondera. “Em alguns trabalhos,os benefícios apareceram apenas em certos subgrupos de indivíduos”, completa.


Tem relação com a Covid-19? 

Ainda não há pesquisas comprovando um elo entre a vitamina E e a prevenção ou melhor controle da doença causada pelo novo coronavírus.

Como obter no dia a dia? 

É simples! Cibele conta que cerca de duas colheres de sopa de azeite de oliva e 50 gramas de castanhas e nozes já são suficientes. Quer variar? A vitamina E está em outros óleos e demais oleaginosas, além de manteiga, margarina, ovos e sementes.

Vitaminas do complexo B

O que elas fazem?

B1: É crucial para a geração de energia e para o sistema nervoso.

B2: Promove a integridade dos tecidos, particularmente o ocular. 

B3: Tem papel na circulação sanguínea e no balanço energético.

B5: Atua na formação de colesterol, hormônios e neurotransmissores.

B6: Está envolvida no funcionamento do sistema nervoso e na saúde da pele.
B7: Participa da produção de energia pelas células e fortalece as unhas.

B9: Assegura o desenvolvimento do feto e de glóbulos vermelhos no sangue. 

B12: Auxilia na liberação de energia.

Têm relação com a Covid-19?

A nutricionista Clarissa Fujiwara, da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica, diz que algumas vitaminas do complexo B agem no sistema imune, mas não há conexão especial com a Covid-19.

Como obter no dia a dia? 

Com dieta variada, cheia de cereais, frutas, verduras, castanhas, ovo, leguminosas, laticínios e vários tipos de carne. “Vegetarianos estritos e veganos devem repor a B12”, avisa Clarissa. 



Fonte:https://saude.abril.com.br/alimentacao/vitaminas-na-pandemia/

Compartilhar:

0 Comments

Get In Touch

Contact form submitted!
We will be in touch soon.

Sobre a Intolerância Alimentar

Disponibilizamos o acesso a informações que poderão auxiliá-lo no entendimento sobre reações adversas a alimentos, como hipersensibilidade ou intolerância alimentar imunomediada.
Atualmente cerca de 45% da população sofre com sintomas relacionados à intolerância alimentar e tal assunto é pouco discutido. Quando identificada ( a intolerância alimentar), o tratamento pode melhorar a qualidade de vida e bem estar do ser humano consideravelmente.

Error: Access Token is not valid or has expired. Feed will not update.
This error message is only visible to WordPress admins

There's an issue with the Instagram Access Token that you are using. Please obtain a new Access Token on the plugin's Settings page.
If you continue to have an issue with your Access Token then please see this FAQ for more information.

Encontre-nos no Facebook

BY ASTERISCO - Todos os direitos reservados

Fale Conosco pela Cris
Fale Conosco pelo WhatsApp